quinta-feira, 28 de maio de 2009

LETRAMENTO é o uso social do que temos de conhecimento.São mecanismos de produção escrita e da fala...

LETRAMENTO:
Resultado da
ação de ensinar e aprender
as práticas
sociais de leitura
e escrita.

O estado ou condição que adquire um grupo social ou um indivíduo como consequência de ter -se apropriado da escrita e de suas práticas sociais.



Passamos slaides; comentamos; exemplificamos..
Surgiram várias dúvidas sobre os conceitos de alfabetização e letramento...



Um poema: O QUE É LETRAMENTO?

Letramento não é um gancho

em que se pendura cada som enunciado,

não é treinamento repetivo

de uma habilidade,

nem um martelo

quebrando blocos de gramática.

.....................................................

Kate M. Chong

Professor Eládio divulga experiências que estão dando certo...













É gratificante quando presenciamos momentos como este...
O professor Eládio realiza um trabalho significante na sua comunidade e com seus alunos, através de contações de histórias, ele resgata contos antigos e divulga seu trabalho dando exemplos...contando de forma cativante e envolvendo o público com a maneira com que encarna o personagem
.





terça-feira, 26 de maio de 2009

GESTAR- 26/05/2009




Nesta aula enfatizamos sobre a
produção de textos na escola,como planejar o texto e querer escrever.
Muitos professores alegaram
que seus alunos possuem
falta de interesse,
estímulo e dificuldades em "colocar no
papel suas idéias".Diante disso, trabalhamos algumas técnicas para motivá-los.
Além de diferenciar os tipos de textos é preciso cativar os alunos a quererem escrever e para isso é necessário muita leitura.


segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dinâmica COTIDIANO ESCOLAR...


Todo encontro é iniciado com uma dinâmica que nos faz refletir sobre nossa prática diária, nossa profissão. Em duplas ou trios nossos colegas cursistas receberam uma folha em branco e foi solicitado que escrevessem frases agressivas, ofensivas, que causam desconforto, ouvidas com frequência em sala de aula pelos alunos e também pelos próprios colegas de trabalho. Após dentre todas, eles escolheram uma delas e escreveram de uma maneira mais suave. Os grupos leram as frases originais e as modificadas. Houve debate e reflexão sobre os frases como. Ex: "Dependendo da nota, eu boto fogo na escola". "Carniça de uma mulher do diabo". "Cala a boca". "Você não me manda,faço o que quero" ." Eu odeio vir na escola". 'As vezes desanimamos diante de algumas situações, nos sentimos incapazes, mas como somos educadores e, a grande maioria trabalha nessa profissão com amor buscamos força para darmos continuidade e para orientarmos nossos alunos para o caminho do bem. O professor apaixonado é aquele que dá muito de si sem esperar nada em troca, educa, ensina o aluno a distinguir o certo do errado, orienta e tudo que faz é com amor.

domingo, 24 de maio de 2009

Atividade com Gêneros...Bula...Chapecó-SC


Alunos da EEB Prof. Clélia S. Bodanese

Conhecendo textos... Trabalhando com Bulas; releitura e depoimentos impressionantes...a maioria não lê as bulas e nem sabia que é um texto. Uma pesquisa realizada com os pais, revela que a bula não faz parte das informações... Simplesmente o remédio é aberto e ingerido. Profe:Solange


























Autora: Roselene dos Anjos
Ao introduzir o conceito de “gêneros do discurso” como “tipos relativamente estáveis de enunciado”, Mikhail Bakhtin (1992) permitiu-nos compreender nossas “práticas de linguagem” (os textos orais, escritos ou imagéticos que produzimos nas comunicações), como fenômenos sociais concretos e únicos, constituídos historicamente nas atividades humanas e caracterizados por um “esqueleto” mais ou menos estável. Passamos a compreender também que todas as esferas de atuação humana exigem práticas de linguagem para existir, ou seja: sem linguagem, oral, escrita ou imagética não há ação humana.
O gênero só existe relacionado à sociedade que o utiliza, pois sua constituição está tão determinada à situação social de interação quanto às suas propriedades formais. O contexto situacional e as esferas de atividade produzem gêneros diferentes em função das normas socioideológicas que os condicionam. A resenha acadêmica e a resenha publicada em jornais e/ou revistas de grande circulação, embora conservem traços formais comuns, são gêneros distintos por estarem condicionados a situações diferentes de comunicação: finalidades, interlocutores,
suportes etc.

Outros exemplos de gêneros que sofreram mudanças poderiam ser comentados aqui (principalmente aqueles que, como as bulas, envolvem direitos do consumidor: rótulos de produtos, anúncios de promoção em lojas, manuais de instrução etc) e poderiam ser objetos de análise e estudos nas nossas salas de aula, afinal, além de instrumentos para o ensino da língua, estes estudos servem também como exercício da cidadania. Que tal levar esta proposta para a escola e movimentar os alunos para exigirem seus direitos?

Professores Apaixonados... Chapecó-SC

video

Vídeo que nos faz refletir sobre nossas ações,

principalmente quando reclamamos do que fazemos; quer

dizer que não estamos apaixonados pela nossa profissão...

Teorização de Marcuschi. GESTAR II Chapecó-SC

video

A maioria dos professores cursistas, inclusive nós formadoras, acabamos a faculdade há algum tempo e não conhecíamos Marcuschi. Estamos estudando suas teorias, pesquisando, buscando informações, pois todas as TPs estão embasadas nessas teorias. Cada professor recebeu um texto sobre a biografia de Marcuschi e algumas de suas teorias. O mesmo texto e vídeo de Marcuschi falando um pouco da escrita e da oralidade foi passado em slides.

Marcuschi revela através do seu relato momentos impressionantes entre a fala e a escrita.